Economia X Política

05 out
2017
Compartilhe:

Com o afastamento da presidente Dilma e início do governo Temer as perspectivas para a retomada da economia e queda do desemprego pareciam promissoras em 2016. Em maio de 2017 aconteceu a delação do Joesley Batista (JBS) e a instabilidade política se instalou no país. A crise política se acentuou com inúmeras denúncias de corrupção que se sucederam, em meio a tensões entre Governo Federal, PGR, Congresso e STF. Tudo nos levava a crer que a instabilidade econômica voltaria e o desemprego atingiu a casa dos 14 milhões. O tão esperado crescimento da economia não aconteceu e as perspectivas eram as piores possíveis.

No entanto, um dado novo e importante é preciso ser analisado. Diante de uma crise política sem precedentes no Brasil a economia se mostrou descolada dos fatores políticos, fato este nunca visto de forma consistente por aqui. A bolsa de valores tem crescido de forma sustentada. Isto é um sinal bem positivo, pois demonstra maturidade dos empresários e investidores que não se deixaram levar por notícias (fatos e boatos) veiculadas pela imprensa.

Hoje temos um setor agroindustrial forte, a mineração vem se recuperando e a Petrobras já dá sinais de uma reestruturação adequada com a nova direção. A estabilidade da excelente equipe econômica  e do Banco Central vem passando confiança ao mercado, mesmo sem as reformas políticas esperadas, diante das lamentáveis negociações políticas do governo Temer para sobreviver à 2ª denúncia apresentada pela PGR.

Não estamos sob “céu de brigadeiro”, mas há sinais de retomada dos investimentos no setor industrial, mineração e serviços, o desemprego sinaliza com uma tendência de queda e o PIB volta a crescer, mesmo que ainda de forma tímida.

A economia brasileira parece ter mudado para melhor, apesar dos problemas políticos persistentes. Se nenhuma tragédia política acontecer nos próximos anos é muito provável que a economia volte a crescer de forma sustentável, os investimentos em setores cruciais como infraestrutura acontecerão e competitividade do Brasil aumentará, trazendo desenvolvimento, riqueza e emprego. As perspectivas são boas, mas precisamos fazer a nossa parte e eleger  políticos comprometidos com essa visão de Brasil.

 

 

 

Paulo Stuckenbruck
autor

Engenheiro Químico, Freesolo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *