Digitalização: uma grande oportunidade para energia solar descentralizada

01 nov
2017
Compartilhe:

A digitalização representa uma grande oportunidade para a indústria solar descentralizada na Europa. O grupo de comércio SolarPower Europe diz em seu relatório, intitulado “Digitalization & Solar” e publicado esta semana, ser o primeiro a examinar a inserção da energia solar fotovoltaica e a digitalização para analisar a forma com que  a nova tecnologia digital pode ser aplicada ao setor solar.  A grande análise de dados, via internet das coisas, a robótica e uma cadeia de blocos de dados (“blockchain”) está na tecnologia digital. O relatório revela que pode criar novos modelos de negócios para energia solar e melhorar os existentes. Na nova categoria de modelo de negócios, as tecnologias digitais podem permitir que os instaladores de sistemas fotovoltaicos residenciais e comerciais ofereçam energia solar como um serviço, com novos produtos agregando benefícios baseados em controle remoto, serviços de operação e manutenção com base em sensores para instalações em menor escala, auditorias energéticas baseadas em dados de consumo e novos tipos de financiamento, tais como contratos de compra de energia com base em medidores inteligentes sem interrupção (“zero-down”). Além disso, a tecnologia “blockchain” pode permitir o comércio solar entre unidades fotovoltaicas. O principal motivação para uso da energia descentralizada é a tecnologia de construção inteligente, que também é impulsionada pelo crescimento do mercado solar. Os sistemas inteligentes de gerenciamento de energia em edifícios são vistos por alguns como uma maneira de aumentar o consumo de energia local. Para os instaladores e projetistas de sistemas, essas tecnologias digitais podem na verdade reduzir os custos através do uso de imagens de satélites e softwares que permitem projetos remotamente para avaliar o potencial solar de um telhado, em vez de enviar um engenheiro no local. Os técnicos também podem usar este software para projetarem e otimizarem as instalações fotovoltaicas, reduzindo ainda mais os custos. Para criar novas receita para os projetos solares distribuídos, a eletrônica da energia avançada pode permitir que os sistemas fotovoltaicos forneçam serviços em rede, incluindo energia reativa, suporte de tensão e suporte de frequência, esperando assim que grandes volume de dados e análises de dados nas nuvens permitam uma melhor combinação de oferta e demanda. Além disso, a troca de dados entre as partes do sistemas fotovoltaicos e operadores do sistema de transmissão possa criar um novo fluxo de receita para as partes envolvidas. O professor Bernd Engel, líder da empresa “SolarPower Europe Digitalization Task Force” e representante da “SMA Solar Technology Board” acredita que a digitalização representa uma grande oportunidade para a energia solar, principalmente porque é um meio de integrar mais pessoas na rede, gerando benefícios para todo o sistema e novas receitas para as instalações solares.

Apesar desta análise ter sido feita para um modelo de negócios de energia europeu, trás uma boa reflexão que poderia ser aplicado no Brasil  e talvez viabilizar ainda mais a energia fotovoltaica por aqui.

Leia o artigo original AQUI

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo Stuckenbruck
autor

Engenheiro Químico, Freesolo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *